Barrancos integra o Centro de Competências da Agricultura Biológica e dos Produtos no Modo de Produção Biológico

 

O Presidente da Câmara Municipal, Dr. António Tereno, assinou, em nome do Município de Barrancos, o Protocolo de criação do Centro de Competências da Agricultura Biológica e dos Produtos no Modo de Produção Biológico, que decorreu em Serpa, no dia 25 de fevereiro de 2017.

 

O Centro de Competências da Agricultura Biológica e dos Produtos no Modo de Produção Biológico, doravante Centro, com sede em Serpa, tendo como missão “promover o desenvolvimento sustentável e competitivo do sector nos domínios técnico-científico, ambiental, socioeconómico e formativo”.

 

Na assinatura do protocolo, que foi homologado, na mesma data, pelo Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, participaram as demais entidades fundadoras do centro, saber:

 

As Câmaras Municipais de Barrancos, de Serpa, de Beja, de Castelo Branco, de Évora, de Idanha-a-Nova, de Mértola e de Moura;

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo;

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária;

A Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural;

O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo, Beja e o Centro de Apoio Tecnológico Agro Alimentar de Castelo Branco;

A Universidade Europeia, Lisboa, os Institutos Politécnicos de Beja, de Bragança, de Castelo Branco e de Coimbra;

A Universidade de Évora e do Algarve;

E as associações AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, Lisboa; Associação Rota do Guadiana, ADI, Serpa; Associação In Loco, São Brás de Alportel; LEADER OESTE - Associação para o Desenvolvimento e Promoção Rural do Oeste, Cadaval; Associação das Terras e das Gentes da Dieta Mediterrânica, Loulé; Associação de Defesa do Património de Mértola; ALMABIO - Cooperativa Agrícola de Produtores Bio do Alentejo, CRL, Serpa; Associação de Apicultores do Parque Natural do Vale do Guadiana, Mértola; Associação de Produtores do Concelho de Serpa; Risca Grande, Lda, Serpa; Empresa de Desenvolvimento e de Infraestruturas do Alqueva, Beja;        

E as empresas Eco Sapiens, Lisboa; Sementes Viva, de Idanha-a-Nova;

Sociedade Agrícola Herdade de Carvalhoso, de Coruche; e Herdade do Freixo do Meio, de Montemor-o-Novo. 

 

No caso de Barrancos, a adesão ao Centro foi autorizada pela Assembleia Municipal (deliberação nº 16/AM/2016, de 30/6), sob proposta da CMB, aprovada pela deliberação nº 113/CM/2016, de 15/9.